Por que a responsabilidade é importante

Chamamos isso de responsabilidade. A partir de 2001, tive o privilégio de toda sexta-feira à tarde, de me encontrar com duas mulheres para encorajamento e oração mútuos. Fizemos isso por vários anos e permanecemos responsáveis ​​até o dia de hoje. As razões pelas quais começamos a nos encontrar eram simples: éramos jovens cristãos querendo encorajamento em nossa caminhada com Deus. Queríamos construir uma amizade mais profunda e significativa com algumas mulheres. E nós éramos meninas e amamos qualquer desculpa para sair e comer juntos.

Foi uma verdadeira amizade. O objetivo de nossa reunião foi simples, mas os benefícios foram infinitos e transformaram a vida.

Para Nossa Proteção

Sabemos que todos pecaram e carecem da glória de Deus. Quando me tornei cristão, confessei livremente meu pecado, porque tinha plena consciência da graça e do perdão de Deus. Eu conhecia as profundezas do meu coração e o que significava ser muito perdoado. Mas então veio o conhecimento, que juntamente com os passos da piedade, pode levar ao orgulho (1 Coríntios 8: 1). À medida que crescia, comecei a acreditar sutilmente que deveria "saber melhor" do que pecar - como se a tentação de raiva ou inveja estivesse além de mim. A prestação de contas era um bom lembrete de que não havia problema em necessitar da graça de Deus. Isso me lembrou que sou pecador e que, por causa de Jesus, Deus é fiel em perdoar (1 João 1: 8–10).

A prestação de contas consistente tem sido um meio de proteção de Deus em minha vida. Até hoje, embora eu esteja mais adiantado em minha caminhada do que há uma década atrás, não acredito que sou incapaz de pecar gravemente (1 Coríntios 10:12). Eu sou uma nova criação e tenho o poder do Espírito, mas não é mais uma surpresa que, quando quero fazer o bem, o mal esteja próximo (Romanos 7:21). Entender que todos estamos jogando no mesmo time (todos pecaram) significa que podemos compartilhar livremente com esses amigos íntimos e confiáveis. A prestação de contas nos permite confessar padrões de tentação e, ao fazê-lo, somos impedidos de transgressões reais.

Cinco características da prestação de contas

O ponto por trás da responsabilidade não é apenas compartilhar sobre o pecado e ouvir as duras palavras de repreensão. Embora as feridas de um amigo sejam um sinal de sua fidelidade, a prestação de contas também deve ser um momento para nos fortalecermos e encorajarmos uns aos outros em direção à bondade e graça de Deus encontradas na cruz de Cristo. Meus amigos e eu lembramos um ao outro quem éramos em Cristo: aceitos completamente, filhas do Altíssimo, e perdoados. Lembramos um ao outro que conhecíamos Jesus, ele era nosso e nós éramos dele, e poderíamos nos aproximar dele e de seu trono de graça. Na minha experiência, havia cinco características que tornam a prestação de contas particularmente vivificante:

  1. Expressamos um amor genuíno um pelo outro porque Deus havia transformado nossa amizade em irmandade. Éramos devotados um ao outro (João 15:17; Romanos 12:10).

  2. Toda semana, tínhamos a opção de estender graça ou julgamento. Poderíamos demonstrar o amor e a graça que Deus já havia estendido através do julgamento de Jesus na cruz (Romanos 14:13).

  3. Cada um de nós teve a oportunidade de ser honesto, o que talvez não tivéssemos realizado se não tivéssemos estabelecido o hábito (Efésios 4:25).

  4. Houve momentos em que precisaríamos estender o perdão. Amizade honesta às vezes leva a machucar um ao outro. Além disso, como uma pessoa pode passar por um período de dificuldades com a mesma tentação que aprenderíamos a suportar com nosso amigo (Romanos 12:16; Colossenses 3:13).

  5. Carregamos o fardo um do outro em oração (Gálatas 6: 2).

Mais de Jesus

Em última análise, a prestação de contas pode ser um meio pelo qual Deus nos atrai, através da amizade e comunhão dos outros, consigo mesmo. A auto-suficiência diz que não precisamos de ninguém, mas a humildade grita por ajuda daqueles que Deus colocou em nossas vidas. Esse hábito de compartilhar e orar com os outros inevitavelmente nos ensinará como lançar nossos cuidados sobre o único que pode suportar plenamente seu peso e que nos ama com um amor infalível (1 Pedro 5: 7).

Deus graciosamente nos lembra que, fora dele, nada podemos fazer. E um grande meio desse lembrete são os irmãos e irmãs que ele coloca em nossas vidas.

Recomendado

Antes de acreditar, você pertencia
2019
Vamos encontrar "graça por uma ajuda oportuna" juntos
2019
Cantando para silenciar o inimigo
2019