Como os Profetas Menores Nos Ajudam a Apreciar Jesus

Quando se trata de verdadeira alegria, Jesus estava falando sério. Ele diz a seus discípulos: “Estas coisas eu lhes falei, para que a minha alegria esteja em você, e que a sua alegria seja completa” (João 15:11). Suas palavras são a chave para experimentar a plenitude de alegria em nossas vidas. Mas as palavras de Jesus não são apenas o que os Evangelhos o registram dizendo. Jesus deixa claro que, de alguma forma, tudo na Bíblia se relaciona com ele - sua vida, morte e ressurreição e sua mensagem de arrependimento e perdão (Lucas 24: 44–49).

Se formos honestos, porém, podemos achar partes da Bíblia confusas e até entediantes. Encontramos costumes estranhos, diferentes tipos de literatura, listas de nomes desconhecidos e sistemas de leis complicados. Como resultado, muitas vezes gravitamos em direção a certas partes da Bíblia e evitamos o terreno desconfortável.

Mas se cremos no que Jesus diz sobre a nossa alegria por ele depender das palavras de Deus, então precisamos de toda a Bíblia. Para maximizar nossa alegria nele, precisamos das Escrituras máximas. Então, vejamos como uma seção freqüentemente negligenciada da Bíblia nos ajuda a desfrutar de Jesus: os Profetas Menores.

Seis Glórias Frescas

Apesar do nome, os Profetas “Menores” dão um grande soco. Esses doze livros finais do Antigo Testamento têm nomes estranhos e costumam usar linguagem poética para apresentar pessoas e histórias que têm literalmente milhares de anos. Mas quando lemos os Profetas Menores para conhecer Jesus melhor e desfrutá-lo mais profundamente, vemos sua glória novamente de pelo menos seis maneiras.

1. Descubra o caráter de Cristo.

Vemos o caráter múltiplo de Deus que Jesus exibe em sua encarnação. Deus se revela como um marido ciumento, cujo povo cometeu adultério com outros deuses (Oséias 1–3). Jesus é o noivo de seu povo redimido, a igreja (Marcos 2: 19–20; Efésios 5: 22–33).

Deus é gracioso e misericordioso, lento para se enfurecer e com amor constante e abundante, mas não apura os culpados (Jonas 4: 2; Naum 1: 2–3). Jesus foi a personificação mais completa da graça e da verdade (João 1: 16–18), sendo ao mesmo tempo o juiz justo que executará a ira de Deus (Apocalipse 19: 11–21).

2. Descubra o horror do pecado pelo qual Jesus morreu.

Vemos as horríveis profundezas do pecado pelas quais Jesus morre na cruz. Freqüentemente, em detalhes gráficos, os Profetas Menores descrevem as muitas maneiras diferentes pelas quais o pecado se manifesta, como adultério espiritual (Oséias 2: 1–13), idolatria (Oséias 4: 10–19), maltratando outras pessoas (Amós 1: 2–2: 16; Miquéias 2: 1–3: 12), racismo (Jonas 1: 1–6; 4: 1–11) e impureza (Malaquias 1: 6–14).

Vemos os mesmos pecados no mundo de hoje e em nossos próprios corações (Romanos 1: 18–3: 19; Efésios 2: 1–3), expondo nossa necessidade de Jesus.

3. Antecipe um dia real em que Jesus julgará o mundo.

Vemos o terrível julgamento que Jesus leva na cruz por seu povo. Os Profetas Menores se referem repetidamente ao próximo Dia do Senhor, quando Deus executará julgamento sobre seus inimigos (Joel 1: 2–2: 11; Obadias 1–16; Sofonias 1: 2–18). O julgamento ameaçado por Israel e pelas nações vizinhas antecipa o julgamento final sobre toda a humanidade no último dia (Atos 17: 30–31).

Foi esse julgamento pelo pecado do seu povo que Jesus assumiu na cruz (Mateus 27: 32–56).

4. Reconheça o rei dos reis.

Vemos descrições do rei justo que Jesus cumpre. Diferente dos reis infiéis que governavam Israel e Judá, Deus promete um rei da linhagem de Davi que estabelecerá a paz e governará o povo de Deus como pastor (Miquéias 5: 2–5). Seu reinado se estenderá a todas as nações e transformará a própria criação (Amós 9: 11–15; Zacarias 9: 9; 14: 9).

Como o verdadeiro filho de Davi (Mateus 1: 1), Jesus se tornou nossa paz (Efésios 2:14) e governa seu povo como o Bom Pastor (João 10: 11–18). Ele está sentado à direita do Pai (Hebreus 1: 1–13), aguardando o dia em que ele transformará a criação (Apocalipse 21–22).

5. Aprecie a beleza e o custo de nossa salvação.

Vemos promessas impressionantes da salvação que Jesus realiza. Por ter compaixão de Deus, ele promete que pisará nossas iniquidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar (Miquéias 7: 18–20).

Como “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29, 35–36), Jesus “carregou nossos pecados em seu corpo na árvore, para que morramos pelo pecado e vivamos para a justiça”. (1 Pedro 2:24).

6. Lembre-se de que temos o Espírito de Jesus vivendo em nós.

Vemos promessas gloriosas do Espírito que Jesus derrama sobre seu povo. Como parte da redenção de seu povo, Deus promete derramar seu Espírito sobre todo o seu povo, independentemente de sexo ou status social (Joel 2: 28–32).

Como Senhor ressuscitado e exaltado, Jesus derrama o Espírito sobre seu povo para nos capacitar a viver vidas santas e dar testemunho dele (Atos 2: 1–41).

Profetas Menores para Máxima Alegria

Assim, ao vermos o caráter de Deus nos Profetas Menores, nosso coração se emociona com uma nova maravilha que ele assumiu carne e habitou entre nós.

Ao vermos as profundezas de nosso próprio pecado, nossos corações são levados a confessar e se afastar deles.

Ao vermos o terrível julgamento que nosso pecado merece e que Jesus experimentou em nosso lugar, nossos corações se emocionam com gratidão.

Ao encontrarmos o Rei dos reis todo-poderoso e perfeitamente justo, trememos de sua santidade e autoridade e nos submetemos totalmente ao seu senhorio.

Ao vermos as promessas de salvação que agora experimentamos através da obra de Jesus, nossos corações estão cheios de maior alegria e segurança.

Ao vermos as promessas do Espírito, esse mesmo Espírito testemunha em nossos corações que somos filhos de Deus e herdeiros de uma herança eterna.

Os Profetas Menores o ajudarão a apreciar Jesus mais profundamente, se você permitir. Por que não começar sua jornada para uma maior alegria em Jesus através da leitura dos Profetas Menores? Ore para que, através desses doze livros curtos, Deus abra bem seus olhos para ver coisas maravilhosas em sua palavra (Salmo 119: 18) e brilhe em seu coração "a luz do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo" (2 Coríntios 3: 18–4: 6).

Recomendado

Colocando o "cristão" na amizade cristã
2019
Do médico à mãe que fica em casa
2019
Corrida, Olhando para o Finalizador
2019