Cinco Verdades sobre o Dia de Ação de Graças

Ação de Graças é mais do que um dia de folga. É mais do que comer purê de batatas e molho, assistir futebol e tirar uma soneca maravilhosa induzida pela Turquia.

O Dia de Ação de Graças é um conceito difundido e essencial nas Escrituras. E embora seja bom reservar uma quinta-feira todo mês de novembro para cultivar um coração de ação de graças, as Escrituras têm mais a dizer sobre dar graças do que um dia por ano pode suportar.

Aqui estão cinco verdades bíblicas sobre ação de graças.

1. O Dia de Ação de Graças é Trinitário

O padrão típico de ação de graças no Novo Testamento é que Deus, o Pai, é o objeto da ação de graças, Deus, o Filho, a pessoa através da qual a ação de graças flui, e Deus, o Espírito Santo, é a fonte da ação de graças. Paulo modela isso em Romanos 1: 8: “Primeiro, agradeço a Deus por todos vocês, por Jesus Cristo, porque sua fé é proclamada em todo o mundo.” E Colossenses 3: 16–17:

Que a palavra de Cristo habite em você ricamente, ensinando e admoestando uns aos outros com toda sabedoria, cantando salmos, hinos e cânticos espirituais, com gratidão em seus corações a Deus. E o que você fizer, em palavras ou ações, faça tudo em nome do Senhor Jesus, dando graças a Deus Pai por meio dele.

A própria presença de ação de graças aponta para o Espírito Santo como fonte de ação de graças, porque sem a obra do Espírito é impossível agradar a Deus (Romanos 8: 5–8).

O cristianismo não exige ação de graças vaga a uma divindade vaga. Nosso Deus é trino e, como resultado, a ação de graças tem um sabor trinitário. O Dia de Ação de Graças flui para Deus Pai, através de Deus Filho, de Deus Espírito.

2. O Dia de Ação de Graças Substitui o Pecado

Quando Paulo ordena que os crentes parem de pecar, ele também ordena que criem ações de graças em seu lugar. Paulo escreve: “Não haja imundície, nem tolices, nem piadas grosseiras, que estão fora de lugar; antes, haja ação de graças” (Efésios 5: 4).

Paulo sabe que estamos sempre agindo. Nós agimos com corações pecaminosos e ingratos, o que leva a conversas tolas ou piadas grosseiras, ou agimos com corações agradecidos e, assim, agradamos a Deus com nosso discurso. John Piper explica,

A chave para liberar um coração de gratidão e superar a amargura, a fealdade, o desrespeito e a violência é uma forte crença em Deus, o Criador, o Sustentador, o Provedor e o doador de esperança. Se não acreditamos que somos profundamente gratos a Deus por tudo o que temos ou esperamos ter, então a própria primavera de gratidão se secou. (“Violência, feiúra e ação de graças”)

3. O dia de ação de graças santifica a criação

Como os cristãos devem pensar sobre a boa criação de Deus? Paulo diz que deve ser recebido com o coração cheio de ação de graças: “Tudo criado por Deus é bom, e nada deve ser rejeitado se for recebido com ação de graças. Pois é santificado pela palavra de Deus e pela oração ”(1 Timóteo 4: 4).

Paulo ensina que a criação é boa e deve ser recebida com ações de graça, porque é santificada pela palavra de Deus e pela oração. Piper explica a conexão entre a bondade da criação, ação de graças e oração,

[A] palavra de Deus nos ensina a provar a comida como uma comunicação de sua diversa bondade e seu valor supremo. E quando provamos a comida como uma comunicação da bondade e do valor de Deus ao ingeri-la, oferecemos nossas orações de agradecimento e pedimos que ele nos dê a festa mais completa possível de seu valor supremo. E oramos isso em nome de Jesus, sabendo que todas as bênçãos duradouras foram compradas por seu sangue. (“O que Deus fez é bom e deve ser santificado”)

4.Ação de Graças pelo Evangelho

Devemos ter como objetivo aumentar nossa ação de graças em proporção ao valor do objeto pelo qual damos graças. Portanto, devemos ser muito gratos pela obra de Deus para nós em Cristo, porque ela nos une à nossa maior alegria - o próprio Deus. Paulo escreve: “Agradeço sempre ao meu Deus por você, por causa da graça de Deus que lhe foi dada em Cristo Jesus” (1 Coríntios 1: 4).

Paulo nunca se cansou de dar graças pela graça de Deus na pessoa e obra de Jesus. E nós também não devemos. Deus mostrou seu amor por nós, mesmo quando éramos inimigos de Deus (Romanos 5: 8); ele nos chamou das trevas e nos tornou herdeiros de Deus (Romanos 8:17); Jesus suportou o castigo que merecíamos e recebemos sua perfeita justiça (2 Coríntios 5:21).

5. Ação de Graças em Todas as Circunstâncias

Um aspecto surpreendente do dia de ação de graças é que é para todas as circunstâncias, não apenas uma grande refeição por ano. Paulo escreve: “Regozija-se sempre, ore sem cessar, dê graças em todas as circunstâncias; pois esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para você ”(1 Tessalonicenses 5: 16–18).

Agradecer em todas as circunstâncias é especialmente difícil quando se sofre. Como podemos ser gratos quando há algo que dói tanto? Podemos agradecer em meio ao sofrimento, porque isso visa aumentar nossa fé, não como castigo (2 Coríntios 4: 17–18), e porque é redentor, não aleatório.

Nosso sofrimento não é castigo por nossos pecados - porque Cristo suportou nosso castigo em nosso lugar (Romanos 3:25). As demandas da justiça foram atendidas. E nosso sofrimento não é aleatório - porque Deus é soberano sobre ele, e através dele Deus está nos conformando à imagem de seu Filho (Romanos 8: 28–29).

Recomendado

Esclarecendo Romanos 7: 14–25 como “experiência cristã”
2019
Como Deus nos torna poderosos
2019
Livros que mais me influenciaram
2019